Dor na coluna pode afastar o funcionário do trabalho?

Dor na coluna pode afastar o funcionário do trabalho?

A dor lombar é uma das queixas mais comuns entre as pessoas, perdendo somente para a dor de cabeça, chamadas de cefaléia, na escala dos distúrbios dolorosos.

Embora o número de indivíduos afetados pela síndrome da dor lombar seja grande, apenas 15% dos casos recebem o diagnóstico específico, pois as dificuldades para se estabelecer a causa decorrem de diversos fatores, como a divergência entre os achados clínicos, exames de imagem, local de origem da dor.

Além disso, a dor na coluna muitas vezes acaba sendo correlacionada ao trabalho, sendo chamada pelo funcionário de doença ocupacional ou relacionada ao trabalho, o que nem sempre é real.

Quais as causas da dor na coluna?

Inúmeras circunstâncias contribuem para o desenvolvimento da dor nas costas, embora muitas sem uma nítida relação causal, tais como:

  • insatisfação laboral
  • litígios trabalhistas
  • psicossociais
  • fatores genéticos e antropológicos
  • obesidade
  • tabagismo
  • nível de escolaridade
  • realização de trabalhos pesados
  • sedentarismo
  • síndromes depressivas
  • alterações climáticas
  • modificações da pressão atmosférica
  • temperatura ou condições emocionais.

O fato é que independente da possível causa da dor lombar, o diagnóstico é feito através da consulta médica, que deve conter a fase de questionamentos médicos, seguido do exame físico, não sendo necessário a presença de exames complementares laboratoriais ou de imagem como raios-x, ressonância magnética e/ou tomografia computadorizada para a confirmação da síndrome dolorosa.

Os exames

Muitas vezes esses exames de imagem acabam sendo solicitados pelo médico por força cultural, na tentativa de agradar o paciente que clama pelo exame complementar, o que pode prejudicar o indivíduo no futuro, já que a tomografia e o raios-x expõem o paciente a radiação ionizante, por isso, frisamos que todo exame tem uma indicação, que deve ser respeitada.

Devemos ressaltar que a maioria dos casos de dor lombar regride espontaneamente, apenas com o repouso, e independente da causa, 70 % dos pacientes terão regressão completa dos sintomas em até 3 semanas e 90% em dois meses, com qualquer tratamento.

Em resumo, qualquer um dos portadores de dor lombar estará se sentindo bem em 10 dias, independente do tratamento instituído (MacDonald e Haslock, 2000).

O tratamento deve conter basicamente repouso, medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares, e mais raramente infiltrações, procedimentos invasivos e cirurgias.

Dor lombar e saúde no trabalho

Em alguns casos a dor lombar pode ser considerada doença ocupacional, mas na maioria dos casos, ela envolve apenas as formas leves do distúrbio doloroso, como as alterações musculares da coluna lombar.

A hérnia de disco, por exemplo, que é uma forma grave de dor lombar, felizmente, desempenha um papel pouco importante na ordem da frequência das síndromes dolorosas relacionadas ao trabalho.

Para ser considerada doença ocupacional, a dor lombar necessita ter como causa algo desencadeado pelo exercício da função do empregado ou por trauma no ambiente do trabalho.

As tarefas que podem de fato causar esse tipo de distúrbio são: manusear cargas longe do tronco; torcer ou inclinar o tronco para frente; alcançar e pegar objetos acima da cabeça; mover e carregar uma carga por longo trajeto; empurrar ou puxar carrinhos; levantamento repetitivo de cargas pesadas, volumosas ou de difícil manejo; cadeiras sem regulagem de altura ou inclinadas para trás; suporte inadequado da coluna; posto de trabalho sem regulagem, com monitores muito altos ou muito baixos e falta de espaço para as pernas; postura estática ou viciosa; calor, frio ou umidade.

Em decorrência de algumas funções, com as referidas características, as lesões musculares e as contraturas são os quadros mais comuns, que desaparecem em até 3 semanas com o repouso e uso de analgésicos, como já comentado acima.

NR17

Com a intenção de melhorar as condições de trabalho dos empregados e qualidade de vida, foi criado a Norma Regulamentadora 17 (NR17).

Ela determina as condições ergonômicas do trabalho, e institui que as empresas desenvolvam, através do médico do trabalho da empresa, a análise ergonômica do posto de trabalho, que tem a intenção da prevenção das doenças relacionadas ao trabalho e da melhoria na saúde do trabalhador.

É através da análise ergonômica que surgirão medidas preventivas, que além de melhorar a qualidade de vida do funcionário, trarão redução de custos a longo prazo, uma vez que um melhor posto de trabalho, leva a diminuição dos afastamentos do trabalho.

Além disso, ainda com o intuito da prevenção, podem ser instituídas palestras de conscientização sobre a boa postura no local de trabalho, e exercícios regulares e sistemáticos fornecidos por professores de educação física ou fisioterapeutas, ao qual damos o nome de ginástica laboral, que anima o trabalhador da fábrica e melhora o seu rendimento no trabalho.

Resumindo,  na maioria dos casos, a dor lombar é uma afecção benigna, sem uma causa definida, podendo estar relacionada a diversos fatores, com o diagnóstico essencialmente clínico, que melhora espontaneamente em até 3 semanas, e que pode ser prevenida quando em decorrência do trabalho, se executado as medidas impostas pela NR17.

Gostou do nosso post? Fale conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *